Região Metropolitana de Salvador Se Destaca Por Descarte Correto de Resíduos Sólidos, Mas Pode Avançar Na Reciclagem


Em estudo que avaliou a situação da limpeza urbana em 1.721 cidades brasileiras, a Região Metropolitana de Salvador se destacou por suas políticas corretas de destinação de resíduos, mas a região pode avançar ainda mais, principalmente no que diz respeito à reciclagem de materiais. Para compor o ISLU (Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana) da região, foram analisados cinco dos 12 municípios que compõem a região: Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas, São Francisco do Conde e Mata de São João. As cidades avaliadas pelo estudo são as que disponibilizaram os dados no SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento).

Todas as cidades analisadas destinam seus resíduos para aterros sanitários, locais preparados para o tratamento adequado dos materiais descartados. Outro ponto importante na pesquisa é a cobertura do serviço de limpeza, que registrou abrangência significativa na região. Nesse quesito, Mata de São João registrou o índice mais baixo, com 80% de cobertura para a população. Já na capital Salvador, a taxa é de 97%.

“Um dos objetivos com o ISLU é fazer com que os agentes responsáveis e a população reconheçam o serviço de limpeza urbana como parte fundamental do bem-estar e da saúde das cidades. Por isso, um dos principais critérios selecionados é a cobertura do serviço, que deve estar disponível para 100% da população”, explica Ariovaldo Caodaglio, conselheiro do Selur.

Um ponto importante analisado pelo ISLU é a existência ou não de autonomia financeira do setor de coleta de lixo. A falta pode impactar de forma negativa no serviço. Na Região Metropolitana de Salvador, Camaçari, Mata de São João e Salvador possuem maior autonomia financeira por conta da arrecadação específica para os gastos do setor. Trata-se de um aspecto positivo. A principal vantagem é garantir o sistema de limpeza, que não fica vulnerável às decisões orçamentárias.

Desafios
Assim como em outras cidades do Brasil, onde a média nacional é apenas 4,08%, a Região Metropolitana de Salvador registra taxas baixas de recuperação de resíduos. Em Salvador, Camaçari e São Francisco do Conde, os números de materiais reciclados não passam de 0,4%. Em toda a região, o melhor índice é de Lauro de Freitas, com 5,7%. Para comparação, em países como Japão, Canadá e Alemanha esses números podem chegar a 40%.

A fim de suprir a falta de informações sobre a limpeza urbana das cidades brasileiras e mapear os desafios para o cumprimento das recomendações da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), o ISLU foi desenvolvido em parceria entre o Selur (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo) e a PwC. Brasil.

A pesquisa leva quatro aspectos em consideração:
·         Engajamento do Município (população atendida x população total);
·         Sustentabilidade Financeira (despesas com a limpeza urbana x despesas totais);
·         Recuperação dos Recursos Coletados (material reciclável recuperado x total coletado);
·         Impacto Ambiental (quantidade destinada incorretamente x população atendida).

Impacto nacional
O ISLU gerou resultados em 1.721 municípios brasileiros com base nos critérios da PNRS, aprovada em 2010, e criou um termômetro onde aponta os problemas e soluções de cada local, caso a caso, com pontuação de zero a um. Os dados utilizados foram coletados na base de 2014 do SNIS.

“O ISLU não é um ranking de cidades limpas x cidades sujas. Os resultados dessa análise servirão de insumo para os gestores públicos e privados de limpeza urbana, assim como associações e a sociedade em geral, a tomarem as medidas necessárias a fim de atender as exigências da PNRS e fomentar um ambiente sustentável e saudável em seus municípios”, afirma o conselheiro do Selur.

“Para que um município tenha uma boa pontuação, ele deve apresentar bons resultados no conjunto total de indicadores utilizados. Com isso, o ISLU avalia uma série de informações consolidadas, sem trazer análises tendenciosas para o atendimento de apenas um aspecto da gestão da limpeza urbana”, explica Carlos Rossin, diretor da PwC Brasil e coordenador do estudo.
Confira o estudo completo no site do Selur.

Sobre o SELUR
O SELUR (Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana do Estado de São Paulo) é o órgão responsável por centralizar os esforços das empresas paulistas de limpeza urbana. A instituição representa o conjunto de ações fundamentais para a sociedade, que incluem coleta e transporte de resíduos sólidos, manutenção da limpeza pública, além do tratamento e destinação final do descarte feito pela comunidade – desde residências até estabelecimentos comerciais e hospitalares. O SELUR tem ainda o objetivo de divulgar informações tanto para a colaboração do setor com os gestores públicos como o de conscientizar os cidadãos comuns da relevância social, ambiental e econômica dos serviços prestados pelas suas associadas e seus milhares de colaboradores.

Sobre a PwC
Na PwC, nosso propósito é construir confiança na sociedade e resolver problemas complexos. Somos um Network de firmas presente em 157 países com mais de 208.000 profissionais comprometidos em oferecer qualidade em serviços de Auditoria e Asseguração, Consultoria de Negócios e Tributária. Para saber mais e nos dizer o que importa para você, acesse www.pwc.com.br.

PwC refere-se ao Network PwC e/ou uma ou mais firmas-membro, sendo cada uma delas uma entidade legal independente. Acessewww.pwc.com/structure para mais detalhes.

Related Posts

0 comentários: